MISSA S MÔNICA

Santa Mônica, mãe de Santo Agostinho

Nascida no norte da África, em Tagaste, no ano 332, numa família cristã e nos provou com sua vida que realmente “tudo pode ser mudado pela força da oração.” Cristã exemplar que era Mônica preocupava-se com a conversão de sua família, por isso se consumiu na oração pelo esposo Patrício violento, rude, pagão e, principalmente, pelo filho mais velho, Agostinho, que vivia nos vícios e pecado.

Uma mulher de grandes intuições e de extraordinária virtude natural e sobrenatural, admirável por sua particular fortaleza de ânimo, inteligência aguda, grande sensibilidade, respeitosa e paciente com todos.

Com preces incansáveis mesmo tendo uma vida de sofrimentos e ultrajes, Santa Mônica começa na força de suas preces sustentar a conversão e o batismo, tanto de seu esposo, quanto daquele que lhe mereceu o conselho: “Continue a rezar, pois é impossível que se perca um filho de tantas lágrimas”.

Santo Agostinho – no início por curiosidade e retórica, depois por interesse espiritual – tinha se tornado frequentador dos envolventes sermões de santo Ambrósio. Foi assim que Santo Agostinho se converteu e recebeu o batismo, junto com seu filho Adeodato.

Assim, Mônica colhia os frutos de suas orações e de suas lágrimas. Mãe e filho decidiram voltar para a terra natal, mas chegando ao porto de Óstia, perto de Roma, Mônica adoeceu e logo depois faleceu. Era possivelmente 27 de agosto de 387 e ela tinha cinquenta e seis anos.  

O papa Alexandre III confirmou o tradicional culto a santa Mônica em 1153, quando a proclamou Padroeira das Mães Cristãs. A sua festa deve ser celebrada no mesmo dia em que morreu.

A Associação de Mães Cristãs “Santa Mônica” nasceu em Madri, Espanha, na década de oitenta e é composta por mães que se comprometem a rezar por seus filhos e pelos filhos das outras mães. Seu fundador, o agostiniano recoleto Lorenzo Infante, buscava responder à inquietação das mães que não sabiam o que fazer ante a perda da fé de seus filhos e netos. Hoje está espalhada em todos os ministérios onde estão presentes os religiosos da nossa Ordem. As “Mães Mônica” têm na mãe de santo Agostinho seu modelo de vida e oração. A formação na fé consiste basicamente em que as mães conheçam cada vez melhor a vida de santa Mônica para poder imitá-la mais fielmente.

Todo dia 27 é celebrada a missa pelas suas intenções. Convidamos todas as mães para que façam parte deste grupo das “Mães Mônica”.